Contos Eróticos

[Conto erótico] Chupando a melhor amiga

Tenho várias histórias verídicas para dividir com vocês, mas como essa será minha primeira vou contar da minha primeira vez com uma mulher, que não é qualquer mulher e sim o amor da minha vida. Sou a Gabs, 23 anos, 1,65, olhos verdes e cabelos loiros escuros, peitos grandes e uma bunda média, branca e extremamente tímida haha
Na época eu estudava o último ano do ensino médio, tinha 18 anos e morava em uma cidade pacata e minúscula no interior de Goiás, cidade que eu morava faziam 2 anos somente.

Luiza era minha melhor amiga, 18 anos, alta 1,75, magra, com peitos proporcionais ao corpo e uma bunda empinadinha maravilhosa relativamente grande, por ela ser tão magrinha, cabelos e olhos negros e uma pele branquinha, apesar da idade Luiza tinha um corpo tipo modelo e uma voz rouca sexy que me deixa louca, com aquele sotaque gaúcho que me deixou apaixonada! Estudamos juntas o 1 e 2 ano, mas no 3 meu pai me mudou de colégio, e nos duas não queríamos nos afastar, eu e ela chegamos juntas da cidade, eramos 2 adolescentes que se ajudavam, então, apesar de estudar em outro colégio nossa amizade continuou e até se fortificou.
Todos os dias nos víamos depois da aula, conversávamos sobre tudo, principalmente música e livros. Uma vez por semana comprávamos bebida e íamos na quadra comunitária da cidade beber e ouvir música juntas, então, não poderia ser diferente fizemos como sempre, saímos da aula, fomos almoçar em um restaurante, na saída comprávamos um refri e algumas doses de vokca.
Eu já a desejava ardentemente e ela a mim, por sms nós duas nos provocávamos e por diversas vezes ela me ligava enquanto se tocava, mas jamais havia passado das sms (na época não existia whats nem celular com internet rs), mas isso tudo mudou nesse dia mágico, dia 04/06 uma segunda abafada e quente (como todas as outras em Goiás). Apesar de trocarmos sms bem quentes eu me considerava a hetero que não se sentia atraída por mulheres (não me permitia sentir meus verdadeiros sentimentos, toda vez que me sentia atraída por uma mulher eu reprimia os sentimentos e me afastava de todos), mas a Luiza me ajudou a me permitir mais, agora deixa eu contar como ela ajudou..
Chegamos na quadra que ficava dentro de um clube, fomos para a parte de trás da quadra atrás dos banheiro e ficamos lá bebendo, ouvindo música e rindo como sempre, até que Luzia virou e falou: -” Gabs, comprei um Gudang pra gente!” E virou para bolsa tirando uma caixinha de cigarros. Eu não fumava na época e não aceitei, a deixei fumar sozinha e fiquei bebendo. Até que ela virou com um olhar muito penetrante e com a voz mais rouca do que o normal e disse: -“Vamos trocar fumaça?” Na hora meu coração disparou e eu aceitei com a cabeça, ela então deu um trago bem fundo com o cigarro e aproximou a boca perto da minha, eu abri meus lábios e aproximei ainda mais a boca com a dela juntando nossos lábios semiabertos, ela soltou a fumaça lentamente, eu traguei tudo com rapidez, quando acabou a fumaça ela se afastou, eu fiquei com o coração parado, eu havia tocado meus lábios com o dela e eu queria poder tocar de novo, ela entendeu minha reação tão bem, acredito que ela teve a mesma sensação porque rapidamente tragou o cigarro, mas dessa vez não tão profundamente e veio em minha direção, dessa vez minha mão segurou seu rosto e sem perceber ela estava me beijando, retribui os gestos com calma e bem suave.
Nos beijamos por alguns minutos suavemente, mas logo o tesão nos invadiu e estávamos nos beijando ardentemente, minha mão passava pelo seu corpo, até que parou no seu joelho, Luiza estava de saia e eu não queria fazer nada com pressa, queria sentir cada centímetro de seu corpo, sentir sua pele macia, lisinha em minhas mãos quentes e meio trêmulas de tanto tesão. Parei de beijar sua boca e olhei em seus olhos, havia muito tesão e isso me deixou mais louca ainda, sem dizer nada fui subindo lentamente minha mão por sua coxa, arranhando de leve.. Percebi ela toda arrepiada e sua respiração ficou ainda mais pesada e ofegante, ainda a encarando parei com a minha mão em cima de sua calcinha, estava encharcada de tão molhada sua boceta, ao sentir meu toque ela mordeu seu lábio inferior tentando reprimir um gemido e jogou sua cabeça para trás.
-” Nossa! Como você está malhadinha, sua calcinha tá toda molhada, deixa eu te tocar bem gostoso putinha?” Eu sussurrei em seu ouvido meio sem voz de tanto tesão, no mesmo segundo que comecei a falar ela se arrepiou inteira! Para minha surpresa ela me encara e diz séria: -” Não sei se devo.. Somos tão amigas e se tudo isso estragar nossa amizade? Tenho medo de te perder e eu nunca quero te perder na minha vida…” Ao final desviou o olhar. Só de pensar na possibilidade de a perder eu soltei: “hey, você jamais vai me perder! Eu juro que independente do que aconteça nossa amizade sempre será mais forte e prevalecerá, ok?” Ela olhou em meus olhos e me respondeu com um beijo cheio de tesão, abrindo as pernas, beijando meu rosto, minha orelha, mordidinhas leves e gemidos baixinhos e sussurrou: “Sou todinha sua, faz o que tu quiser com a sua putinha, por favor!!” Implorou entre gemidos, imediatamente coloquei minha mão por deixa do calcinha e estava tocando uma boceta molhada e lisinha pela primeira vez, e aaah que sensação maravilhosa. A deitei para trá, havia um belo gramado, a musica tocava e eu finalmente passei meu dedo por toda aquela bocetinha gostosa, da fenda até o grelinho durinho em movimentos suaves, leves e circulares, ela gemia tão gostoso, aaah como eu adorava ouvir aquela mulher gemer:” Isso me toca bem gostoso, faz a sua vadia gozar vaai!” Ela gemia e implorava: ” Issooo, aii, não para que sua putinha vai gozaaaar!” Eu estava completamente arrepiada, a tocando com a mão esquerda (sou destra mas me sai muito bem) com a direita eu apertava seus peitos por baixo da camisa e do sutiã, e ela gemia alto e rebolava na minha mão, e eu aumentava a velocidade a medida que ela gemia mais intensamente, fiz exatamente como fazia comigo, até que ela fechou as pernas e contraiu o corpo num orgasmo longo e intenso, continuei a tocar de leve e beijava seu pescoço de leve até ela relaxar totalmente.
Quando ela acalmou montou em cima de mim e me beijou intensamente foi até meu ouvido e disse: “Quero sua boca na minha boceta me chupando.” Respondi imediatamente: ” Vamos no banheiro AGORA!” Levantamos correndo e fomos para o banheiro, trancamos a porta fui a beijando loucamente, puxei seu cabelo da nuca e disse: ” Quer minha boca?” Ela balançou a cabeça afirmando que sim, imediatamente a peguei pela cintura puxando sua saia para cima, ela sentiu na pia do banheiro eu me agachei, ela puxou a calcinha de lado e apoiou uma perna no meu ombro e a outra sobre a pia, ficou completamente arreganhada pra mim e disse: “Chupa a minha boceta como você me beijou”, não pude conter a vontade e cai de boca naquela boceta vermelhinha e perfeita, com o grelinho todo inchado. Como nunca havia chupado antes eu deixei meus instintos me levarem, passei a língua bem de leve por toda a boceta, e no grelinho eu alternava em movimentos circulares horas leves e outras mais intensas, não demorou muito e eu senti seu mel escorrer por sua fenda, passei a língua e suguei todo o meu pra mim, e aaah como eu adorei sentir aquele gosto, aquela textura, aquela boceta inteirinha na minha boca latejando e soltando todo seu mel.
A beijei e ela chupou minha língua..
Não pudemos continuar nossa foda deliciosa porque ia começar uma aula na quadra, ouvimos barulhos de crianças e nos apressamos em sair. Mas o tesão estava latente e intermitente. Nos beijamos e prometemos que aquilo iria se repetir outras vezes..
Bom essa foi a primeira vez que fiquei com uma mulher, houveram outras várias, com Luiza e outras, aos poucos vou contando para vocês, esperam que tenham gostado.
Beijos!

Previous post

Amigas masturbando juntas na cozinha

Next post

Levando a namorada à loucura num oral inesquecível

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *